terça-feira, 3 de dezembro de 2013

ANAL



Confesso que tenho andado carente… E a Maria “espicaça” muito mas… Gosto de me libertar da pressão do trabalho e da vida banal e monótona em que por vezes estamos envolvidos mas… As últimas conversam no que toca a prazer foi a Maria a mencionar-me que por vezes imagina-se a beijar certas raparigas bonitas que vai vendo… claro que isso me causa uma excitação bem boa… mas era bom isso passar da imaginação da Maria pois gostava de vê-la noutro patamar … Também mencionou uma ou outra conversa onde lhe confessaram a sua experiência de sexo anal. Penso ter visto nos olhos da Maria algum interesse para iniciarmos essa prática… Mais uma vez é algo que estou mortinho para fazermos…
Um dia destes chego a casa depois de um dia de trabalho de treta (como tem sido os últimos) estava a Maria agarrada ao seu amigo de Borracha a dar prazer a sua bela rata… estava de janela completamente aberta vendo-se as janelas da vizinhança e por quem por ali andava no vai e vem entra a varanda e a casa… Enquanto desfrutava do seu prazer passava na TV um filme pornográfico em que Maria se deliciava com o que se passava… A TV é suficientemente grande para que alguém da varanda ou janela repara-se ao que se assistia naquela sala, ainda para mais neste horário de inverno o final do dia já é noite o que realça mais tal situação… Mas ela não se importava pois é excitante saber que nos observam nestas ordinarices saudáveis… Ao ver-me Maria parece que ficou meio envergonhada pois sinto que ainda nos falta quebrar algumas barreiras para que tudo fique mais oleado e funcione melhor mas há ade-se la chegar… Pedi-lhe para continuar pois era algo que sempre ansiei por ver … A Maria a dar prazer a ela própria… a imaginar coisas loucas… e neste caso a ver pornografia pura num daqueles canais que subscrevemos de janela aberta sabendo que alguém nos poderia estar a observar… Parece que desta vez ela perdia a vergonha e lá continuava sendo que também eu não consegui estar quieto e comecei uma bela massagem ao meu pau que já estava em rubro… cada vez mais aquele cenário e aquela mulher a enfiar um caralho falso na cona me excitava… imaginei-a de mil e uma formas… com outra mulher… com outro homem… comigo… connosco… Ela cada vez mais ansiosa mais excitada… aumentava os gemidos… já me sentia um vulcão a entrar em erupção…
Sentou-se no sofá onde já estava abriu as pernas e continuou a enfia-lo de forma cada vez mais bruta… a mulher estava doida e eu para lá disso… chamou-se e pediu-me para com a língua lhe dar prazer enquanto aquele “animal” de borracha a fodia ao ritmo imposto por ela… por ali estivemos assim, eu de cabeça mergulhada naquela rata, ela a enfiar o seu amigo imaginário dentro dela e com os olhos fixos na foda que se dava na TV…

Não estava a aguentar aquela tortura de ainda não a estar a foder  e de estar a ser trocado por um pedaço de borracha em forma de pénis que vibrava e nada mais… (nada mais digo eu)… queria um buraco apertadinho para meter o meu caralho e me vir pois estava a rebentar pelas costuras… Aproveitando o estado de excitação de Maria fui-lhe massajando o ânus com algum receio da sua rejeição… fui enfiando e tirando a ponta do dedo alternando com massagem… senti que gostava… senti que o seu tesão no cú aumentava cada vez mais ficando proporcional ao tesão que já havia naquela rata… aproveitei o momento para lhe enfiar o dedo todo dentro do cú e com ele mesmo foder… ela deu um gemido mas nada disse ficando eu sem perceber se de prazer se de dor, seja o que for ela parecia estar a gostar… Por ali se ficou naquele vai e vem de sensações e quando não é o meu espanto quando ela me diz “Amor mete o teu caralho todo no meu cú e faz-me vir”… fiquei abanando como é óbvio… pequei no lubrificado besuntei bem aquele rabo que me estava a deixar maluco e fui metendo bem devagar enquanto o amigo imaginário dela lhe fodia a rata… ela fazia alguma contração mas eu fui bem devagar até entrar metade… ela só pedia para por todo que se estava quase a vir… a forçar bem devagar senti que de repente fiquei com ele todo enterrado no seu cú… fodi bem devagar e num curto espaço de tempo vimo-nos os dois de forma brutal… nunca a havia ouvido gritar de tanto prazer… não sei se alguém nos viu da janela mas se viu que tenha tido prazer com isso…Foi maravilhoso e senti que nos aproximou mais… Gosto de te foder Maria estás em todas as minhas fantasias…